08 outubro 2012

FanFic: O Poderoso Cullen - Capitulo 5



Autora(o): Elly Martins (BRA)
Gênero: Romance, drama, Mistério, universo alternativo
Censura: +18
Categorias: Saga Crepúsculo
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Fonte : Robstenlegacy

**Atenção: Esta história foi classificada como imprópria para menores de 18 anos.**

GUERRA DE NERVOS 

Edward POV

Eu estava profundamente irritado, o que não era nenhuma novidade. De um lado esse bando de incompetentes que trabalhavam comigo. De outro aquela porra daquela garota que não saia da minha cabeça. Atrevida, petulante....e deliciosa. Combinação perigosa e que eu adorava em uma mulher. Embora eu gostasse disso, eu não gostava de perder o controle. E eu já tinha perdido o controle duas vezes com ela. Merda....eu tinha que beijá-la? Isso só fez aumentar o tesão absurdo que eu sentia por ela. E me fez ter idéias ainda mais absurdas. 

Mas que a cada minuto tomava forma e se enveredava na minha mente. De uma coisa eu tinha certeza e não tinha volta: Victoria era carta fora do baralho. Mas isso não era novidade. Na verdade ela ate durou mais que as outras. Tinha pena dela. Victoria era humilde. Jamais me deu trabalho. Talvez por isso tenha ficado um pouco mais. Mas agora era hora de entregar-lhe as chaves de sua nova casa. Eu jamais deixava minhas ex mulheres desamparadas. - Chefe? Olhei para os homens a minha frente que aguardavam minha ordem. Eu nem ao menos tinha percebido o que eu fazia. Não sabia se o carregamento de armas que acabávamos de receber estava mesmo correto. Mas eu não estava com cabeça pra isso. - Será que uma vez na vida vocês conseguiriam fazer alguma coisa sem mim? Meu Deus...parecem um bando de garotinhos. 

Emmet e Jasper se entreolharam e nada disseram.
- Jacob...cuide disso.
Jacob era o menos incompetente deles. Às vezes um deslize ou outro, mas nada grave. Seguia sempre sua intuição e não me decepcionava.
- Estou indo pra casa. Tenho milhões de coisas a resolver.
- E Isabella Swan?
- Ela é um problema meu, Emmet. Aliás....isso me lembra uma coisa: por que mentiu a idade dela?
Sua expressão o denunciou.
- Edward.
-Cale a boca. Achou que dessa forma eu a entregaria a vocês não é? Escutem bem uma coisa e só vou falar dessa vez: fiquem longe de Isabella. Não vou admitir nenhum tipo de gracinha com ela.
- Ok. Já entendemos chefe. A garota é sua.
- Isso também não é da conta de vocês. Cuidem do seus serviços e estão fazendo muito.
- Posso fazer uma única pergunta,Edward?
- O que é Emmet?
- E Victoria?
Porra....esses caras deviam ser burros, só pode.
- Fique com ela pra você.

Sai dali antes que eu apelasse de vez e o mandasse à merda. Fui direto pra casa. Victoria estaria me esperando para o almoço, como sempre. Parei à entrada da minha casa, observando aquela imensidão toda. Ou eu colocava meu plano em prática ou não teria ninguém para herdar aquilo tudo.
- Estava te esperando, Edward.
-Sim. Vou me lavar e já venho. Além do mais precisamos conversar.
Ela baixou os olhos. Já sabia o que viria, ainda mais depois de me ver atracado com Bella.
- Sim.
- Aonde está Isabella?
- Me ajudou na cozinha e agora foi para o quarto.
Aquilo me surpreendeu. Ajudando Victoria na cozinha? Que gentileza era essa agora? Falta do que fazer,só poderia ser. Resolvi não ir vê-la. Era melhor almoçar primeiro antes que Victoria se aborrecesse ainda mais. Feliz por tirar o terno e a maldita gravata que tinha que usar todos os dias, tomei uma ducha rápida. Era bom ficar me casa, com roupas normais de vez em quando. Voltei para a sala de jantar aonde Victoria me aguardava. Se tinha uma coisa que não me agradava muito era essa mania que ela tinha de fazer meu prato. Mas depois de um tempo eu deixei de reclamar. Se ela gostava, paciência.

Em matéria de culinária eu não podia reclamar, Victoria cozinhava muito bem. Em todo esse tempo jamais precisei reclamar de nada. Mas como sempre tudo tem a primeira vez. Comia tranqüilamente quando mastiguei algo que quase me matou, literalmente. Afastei-me da mesa bruscamente,as mãos na garganta.
- VOCÊ FICOU LOUCA? ESTÁ QUERENDO ME MATAR? É ISSO?
Victoria ficou branca feito cera.
- Edward....o que foi?
- MALUCA!!! PIMENTA NA MINHA COMIDA? ESQUECEU DA MINHA......ALERGIA, VICTORIA?

No entanto eu já nem conseguia falar mais, sentia –me sufocado. Minha garganta inchava, como guelras se abrindo.Já podia sentir meu rosto queimando e se inchando. Eu sempre fui assim. Tinha alergia a pimenta e a alguns outros alimentos também e Victoria sabia disso. Eu ficava pra morrer.

- Deus do céu.......eu juro que não coloquei,Edward. Ainda avisei pra Isabella que você não podia...

Nem precisei ouvir mais nada. Só poderia ter sido ela, claro. Subi as pressas para meu quarto e me deitei enquanto Victoria pegava meu remédio. Esse nunca faltava em casa. Às vezes acontecia de surgir alergia a alguma coisa que eu ainda não sabia. Meus olhos já estavam se fechando de tão inchados, quando Victoria me entregou o remédio. Bebi quase o vidro inteiro. Eu ia matar Isabella assim que eu saísse dessa cama. O que talvez demoraria um pouco, afinal esse remédio me dava sono.

E já começava a fazer efeito por causa da quantidade que tomei.
Mexeu num vespeiro, Isabella Swan.


**Bella POV **

Eu estava com tanta raiva de Edward e por vários motivos. Primeiro ele era um grosso. Segundo, agora era dono de tudo o que eu julgava que fosse meu. Terceiro queria receber o que meu irmão devia de outra forma que eu nem queria pensar. E por último....ele era um maldito gostoso que estava me levando a loucura. Eu estava a fazer alguma coisa para me vingar dele. A princípio eu tinha pensado em me insinuar para os rapazes na frente dele. Por isso mesmo vesti uma saia minúscula e uma camiseta que moldava perfeitamente meus seios, não deixando margem a imaginação.

Mas ele estava demorando a chegar e resolvi ir ajudar Victoria um pouco. Ela não parecia aborrecida pelo fato de ter pegado eu e Edward juntos. Mas quando ela me avisou que eu não deveria colocar pimenta na comida de Edward.....um riso maléfico brotou em meu rosto. E enchi o recheio da carne assada com pimentas. Queria estar por perto quando ele se sentisse mal. Mas quem entrou furiosa no meu quarto foi Victoria. 

- Por que vocÊ fez isso,hã? Queria matar Edward?
- Do que está falando?
-Eu te avisei, Isabella. Edward tem alergia. Por que colocou pimenta na comida dele?
- Eu não.....
- Não minta pra mim. Edward está péssimo....ele poderia ter morrido.
Me assustei com isso, pois não parecia que Victoria estava mentindo.
- Eu só......
- Nunca mais faça isso,entendeu? Ele está....péssimo.
- Ah...Deus...eu...me desculpe. Eu estava brava porque ele me bateu.
- Deve desculpas a ele e não a mim. E duvido que ele vá desculpá-la.
- Eu....posso falar com ele?
- Se ele conseguir falar.....está em nosso quarto. E se você aprontar novamente...
- Não irei...eu prometo.

Agora eu me sentia mal. Se Victoria estivesse falando a verdade.... Bati na porta do quarto e ninguém respondeu. Abri a porta e entrei, observando o quarto luxuoso.
Ele estava deitado na cama, com os braços sobre o rosto.

- Edward?
Ele não respondeu e meu coração disparou. O que eu fui fazer?
- Edward?
Me aproximei mais e tirei seu braço do rosto. Dei um passo para trás. Seu rosto estava inchado e vermelho. Ainda assim o maldito não deixava de ser lindo. Apreciei seu corpo vestido com a calça jeans justa e uma camiseta modelando os músculos perfeitos. Ele dormia.....somente assim parecia um anjo.

Levei minha mão e toquei seu rosto.Garras de aço se fecharam sobre meu pulso e arregalei meus olhos ao ver o verde de seus olhos me encarando com fúria.

-Veio conferir o estrago que você fez?
-Na....não.... Me solte, por favor.
- O que você pretendia,hã? Me deixar mais furioso do que o normal?
-Edward....eu não sabi......
Ele me puxou com força e cai sobre a cama, seu corpo imediatamente sobre o meu.
-Sabia sim, bandida. Victoria avisou você.
-Eu...não imaginei que fosse tão....
Seus dedos se enfiaram em meus cabelos, seu tórax másculo comprimindo com força os meus seios.
Aproximou seu rosto, a boca muito próxima da minha.
-Não banque a santinha comigo. Nós dois sabemos que você não é. Apertou com mais força meus cabelos e fechei meus olhos de dor.
- O que pretendia com isso? Responde!!
- Irritar você....
-Conseguiu,cachorra. Pode esperar que vai ter volta.
-Edward, vamos parar com....

Mas sua boca já cobria a minha, a língua atrevida e luxuriante devastando todo o espaço,buscando a minha.
Tentei me afastar, socando minhas mãos em punho contra seu peito,sem surtir efeito algum. Edward investiu seus quadris contra mim e mesmo sobre o tecido grosso do jeans eu senti sua ereção. Um gemido involuntário me escapou quando sua mão tocou meu seio sobre a blusa e depois puxou-a com força para baixo. Afastou-se um pouco e olhou,me fazendo ruborizar. A língua lasciva passou sobre os lábios, ainda sem desgrudar o olhar do meu seio. Minha respiração se acelerou quase me impedindo de falar.

-Pare, por favor.
-Pare você de lutar contra mim. Eu sei que você quer.
Sem aviso algum sua boca desceu e cobriu meu seio. Eu gemi alto e arqueei meu corpo. Mais uma vez ele investiu seus quadris e rebolou sobre mim, me deixando a beira da loucura. Sua língua circulava meus mamilos e depois voltava a engolir meu seio. Agarrei-o pelos cabelos.

Já não queria lutar contra ele. Eu lutava contra mim mesma.

Mais uma investida dos seus quadris e eu enlouqueci.Cruzei minhas pernas em volta de sua cintura,minha saia subindo acima dos meus quadris. Eu pude sentir toda a potência da sua masculinidade.Enfiei minhas mãos sob sua camisa arranhando suas costas.Dessa vez ele gemeu,tomando minha boca novamente, a mão ocupando seu lugar em meu seio.Minha língua se enroscou na dele e eu tive vontade de engolir esse homem.

-É isso que você quer?
Neguei. Eu queria mais. Ele entendeu,é claro.
-Eu também não.Quero estar dentro de você.Vou me enterrar tão fundo que vai perder os sentidos. Juro que vai.
-Ah..merda.
Meu sexo latejava violentamente e piorou quando seu dedo me invadiu.
-Porra....
Ele gemeu,enterrando o rosto em meu pescoço. Rebolei em seu dedo e Edward começou a estocá-lo dentro de mim. Entrando e saindo, com o polegar massageando meu clitóris. Eu rebolei,cada vez mais alucinada e mordi meus lábios,mesmo assim não segurando meu grito de prazer quando alcancei o primeiro orgasmo da minha vida.

Ele sorriu e retirou o dedo,levando-o aos lábios numa cena altamente erótica.
-Deliciosa.....mas da próxima vez....vou provar direto da fonte.
Eu gemi novamente, só de imaginar isso.
-Agora,suma daqui.
Eu não acreditava naquilo.Ele estava me expulsando?
-Você....você é um....grosso!
Ele me agarrou novamente, falando com a boca colada na minha. 
-Sim..sou grosso...cretino..um idiota. E você me quer e terá.....mas não na cama onde durmo com Victoria.
-Seu idiota!!
-Não comece uma guerrinha de nervos,hã? Você sairá perdendo.
-Por que tem tanta certeza?
-Porque não vê a hora de ter meu pau esfolando você. Mas eu posso adiar isso por muito tempo, se não for uma boa menina.

Deu um tapa em meu traseiro.
-Agora vá. Antes que eu me lembre que foi por sua causa que estou nessa cama.
-Eu odeio você.
Ele gargalhou e sai batendo a porta. Merda.Ele estava certo. Estava louca para me entregar para aquele vagabundo.Queria me acabar com ele. Mas se ele pensava que só ele sabia enlouquecer...ia ter uma surpresa. Iria me transformar numa leoa pra ele.....e deixá-lo enlouquecido de prazer.

**continua**




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...